Cuidados Básicos

DECISÃO E ESCOLHA

Para escolher um cão, há vários pontos que deverão ser levados em conta:

- O tempo que tem para lhe dedicar é deveras importante: para o passear, alimentar, higiéne e, acima de tudo, dar a atenção que merece. Claramente, se optar por um cão que exige muito exercício quando o seu tempo livre é reduzido, não será a melhor decisão;

- O espaço que lhe irá destinar, que deve ser adequado ao tamanho e temperamento do animal. Deve ter atenção que este cedo será assumido como local de refúgio e repouso;

- Ponderar sobre o temperamento da raça que irá escolher: se é um cão tendencialmente barulhento, irrequieto, ou uma raça pacata e silenciosa;

- Dinheiro que irá dispender não apenas na alimentação mas nas contas de veterinário, eventuais estadias em hotéis quando for de férias, etc.

Estes aspectos e muitos outros deverão ser levados em conta quando uma nova vida entra em sua casa, e será parte integrante da família durante cerca de 14 ou 15 anos. Deverá seriamente ponderar se está preparado para fazer um contrato para a vida.

A CHEGADA

Ao entrar na sua vida e na sua casa, naturalmente o cachorro ir-se-á sentir um pouco perdido e desorientado. Compete ao novo dono minimizar esta situação, deixando-o nos primeiros dias limitado a uma só divisão, para que aos poucos se vá habituando ao seu espaço e ao novo lar.

Será normal que adaptação ao novo lar leve uns dias, podendo o cachorrinho demonstrar-se um pouco deprimido, estado que rapidamente passará. Não acorra sempre que ele chora, pois senão ele passará o tempo a chorar até ter a companhia que deseja. Deixe-o chorar um pouco e rapidamente o cachorrinho se aperceberá que não vale a pena continuar.

Na sua caminha, por baixo de um cobertor que de preferência deverá ter o cheiro da mãe e dos irmãos, coloque uma botija de água quente, pois o calor da botija recordá-lo-á da mãe, e sentir-se-á mais seguro. Perto dela, deverá ter sempre um recipiente com água e o comedouro da comida (apenas cheio nos momentos de refeição).

O DIA-A-DIA

Enquanto o cachorro não tiver a primovacinação completa, é um pouco arriscado deixá-lo vir a rua e sem resguardo. Como consequência desta situação, até cerca dos 4 meses, o cachorro terá que fazer as necessidades em casa.

Tendencialmente um cachorro faz as necessidades quase sempre no mesmo local, pelo deverá habitua-lo a fazê-las num jornal. Estas ocorrem geralmente após comer, beber e dormir. Quando se aperceber que o cachorro está a farejar muito o chão em redor, coloque-o sobre o jornal, para que comece a fazer a ligação necessidades/jornal, tente recompensá-lo sempre que as fizer no local correcto, pois assim mais dificilmente o cachorro de descuidará.

Após a primovacinação completa já poderá levar o cachorro à rua (por volta dos 4 meses), pelo que será necessário ensiná-lo novamente, mas neste caso que já não necessita de fazer as necessidades no jornal, mas sim na rua. Leve-o á rua após as refeições, e após acordar, pois é nestas alturas que o cachorro tem maior vontade, e presenteie-o novamente sempre que as faça no sitio correcto/habitual.

Em fase de aprendizagem será normal que o cachorro se descuide, não ralhe nem o castigue, limpe simplesmente o sujo com um desodorizante. Nunca deverá usar detergentes á base de amoníaco, pois assim poderá atrair o cachorro ao mesmo local, visto terem um cheiro semelhante ao da sua urina.

O TREINO

É necessário que o seu cachorro lhe obedeça, que o reconheça como chefe da matilha, e que se saiba comportar no meio de outros animais e pessoas. É a si que lhe cabe esta tarefa de educar e treinar o seu cachorro. A maioria das escolas treina os Cães de todas as idades, mas o ideal é começar o treino por volta dos 6 meses, idade em que a vacinação do cão já estará completa (a última será a anti-rábica).

Mas o verdadeiro primeiro treino começa logo que o cachorro entre na sua vida e na sua casa: escolha um nome curto e sonante, para mais fácil compreensão por parte do cachorro. Será melhor «Gui aqui !!!» do que «Guilherme aqui !!!» pois um nome comprido apenas baralhará o cachorro. Ensine o cachorro a vir até si e sempre que o fizer demonstre a sua satisfação.

É também deveras importante que o cachorro tenha noção do que significa a palavra «NÃO». Seja sempre extremamente generoso quando o cachorro obedecer, mas não castigue quando não o fizer: o treino requer algum tempo e paciência!!! Deverá também habituá-lo gradualmente à trela e à coleira, bem como a caminhar calmamente ao seu lado. Nunca deverá ceder aos caprichos, pois um cachorro mal treinado será um cão mal educado, e um cão não entende porque razão já não pode fazer isto ou fazer aquilo.

SAÚDE

É importante e deveras aconselhável que já tenha escolhido o veterinário assistente para o seu cachorro, devendo também ter sempre á mão um número de contacto em caso de emergências. Quando chegar a sua casa o cachorro já deverá ter as primeiras vacinas, bem como já ter sido desparasitado.

Os cachorros deverão ser vacinados contra a Esgana, Hepatite por andrenovírus e Parvovirose. A vacina contra a Raiva é obrigatória.

Tabela de Vacinação

1.ª Vacinaàs 6 semanasEsgana; Parvovirose
2.ª Vacinaàs 8 semanasEsgana; Parvovirose
Leptospirose
Hepatite vírica
3.ª Vacinaàs 12 semanasEsgana; Parvovirose
Leptospirose
Hepatite vírica
4.ª Vacinaàs 16 semanasRaiva
seguintesanualmenteReforço de todas as vacinas

Regularmente faça uma desparasitação interna, bem como externa, pois parasitas como pulgas e carraças poderão ser fonte de doenças para o seu cachorro.

ALIMENTAÇÃO

Ponderar a alimentação do seu cachorro também é importante, pois uma má alimentação em pequeno poderá trazer complicações no futuro. Averigue cuidadosamente se ele é de uma raça com tendência para engordar, ou para ter problemas intestinais, etc. ...

Um cachorro deverá comer 2 a 3 vezes por dia, dependendo das necessidades do mesmo, o importante será ajustar a quantidade de comida ao tipo de cachorro. Para tal é necessário observá-lo e verificar se não surge qualquer tipo de alteração: ele deverá ter uns olhos brilhantes, um bom pêlo, não estar exageradamente gordo, mas também não deverá estar sub-alimentado. Se ele estiver dentro deste padrão, então a alimentação está a ser a mais correcta. Contudo, pode e deve sempre aconselhar-se junto do veterinário assistente.

HIGIÉNE

Muito embora um cão faça a sua higiene, também deverá ter a sua prestação neste campo: habitue o seu cão ás escovagens e aos banhos, de modo a que com o passar do tempo o consiga fazer calmamente sem ter que ter uma batalha campal para o meter dentro da banheira.

Relativamente a cães de pêlo comprido deverá optar por escová-lo 1 vez por dia, enquanto os de pelo curto passarão bem com uma ou duas escovadelas semanais de modo a retirar os pêlos mortos.

Os banhos também são importantes na higiene do seu cão, devendo optar por um shampoo próprio para cães e nunca usar qualquer outro tipo de produtos, detergentes ou desinfectantes. Deverá dar banho com água morna (39º a 40º), bem como colocar algodão nos ouvidos para evitar a entrada de água e tendo também o devido cuidado com o shampoo nos olhos e na boca.

O cão deve sempre ser bem seco com toalhas turcas, de modo a evitar situações menos agradáveis caso ele apanhe correntes de ar, ou vá para a rua. Banhos na rua só de Verão e os cachorros não devem tomar banho antes dos 5 meses, visto que a sua regulação térmica só acontece por volta dos 4 meses. Se for feita uma higiéne diária, os banhos podem e devem ser espaçados (3 meses).

Também deverá ter atenção sobre a cama do seu cão, cujo cobertor deverá ser lavado com alguma regularidade. Mantenha ainda algum controle sobre os olhos lacrimejantes, ouvidos sujos ou dentes com tártaro e boca com mau cheiro. Nestas situações deverá contactar o seu veterinário assistente.

ESTERELIZAR E CASTRAR

O abandono de animais, é um flagelo com que nos deparamos diariamente, sejam cães com raça, sem raça, novos ou velhos. Muitos cães são largados nas estradas, jardins e matas por esse país fora. Ninhadas indesejadas só virão aumentar o n.º de animais abandonados e mal tratados. A esterilização ou castração poderá evitar muitos problemas, quer de saúde, quer situações menos agradáveis quando uma cadela se encontra com o cio.

Pode ser considerada uma forma um pouco comodista de tentar contornar um problema que se calhar não existe, certo é que os cães ficam visivelmente mais calmos e menos destruidores após a sua esterilização/castração. A marcação de terreno tão habitual nos machos deixará de acontecer, também terá por terminadas aquelas fugas não esperadas porque existe uma cadela com o cio na zona (isto no caso dos machos), bem como eventuais problemas a nível do sistema reprodutor deixarão de ser tão frequentes, se não completamente nulos.

Horários de Visitas e Adopções: Sábado e Domingo das 10h00m às 13h00m

United Kingdom gambling site click here